Meio Ambiente

Lançamentos de Esgoto Contaminam Água em Sete Lagoas – II

20160706_150757

Confluência do Córrego do Macuco com o Matadouro (foto tirada em 06/07/2016)

Após a confluência com o Macuco o córrego do Matadouro segue com esse nome e atravessa grande parte da área urbana de Sete Lagoas. Além desse lançamento irregular recebe outros lançamentos e esgoto proveniente de vazamentos. Dessa forma, por onde passa apresenta~se degradado, poluído, com forte mau cheiro. Logo após o ponto da confluência o Matadouro passa por baixo da perimetral (manilhado) e segue por detrás de uma bomba do SAAE, do outro lado da perimetral conforme fotos abaixo.

IMG_5195

Córrego do Matadouro após confluência com o Macuco e atravessar a perimetral, atrás de casa de bombas do SAAE.

(foto tirada em 29/09/2016)

IMG_5199

Córrego do Matadouro após confluência com o Macuco e atravessar a perimetral, atrás de casa de bombas do SAAE.

(foto tirada em 29/09/2016)

PROTEÇÃO DAS ÁGUAS DA SERRA DO CABRAL

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), Marcus Vinícius Polignano, reuniu-se com membros do Subcomitê Guaicuí, da Agência Peixe Vivo e equipe de Mobilização, bem como representantes da empresa Vallourec, no dia 24 de janeiro, na sede do Comitê, em Belo Horizonte. O objetivo da reunião foi de discutir o projeto hidro ambiental “Proteção das Águas do Cabral” previsto para acontecer nas sub-bacia do Córrego das Palmeiras, localizado em Lassance e Córrego Bananal, em Várzea da Palma.

DSCN6854

 

Vista da Serra do Cabral, Bacia do Rio das Velhas

Fonte: Comitê da Bacia do Rio das Velhas

 

Inauguração do Sistema de Drenagem Pluvial na Rua Quintino Bocaiúva e Adjacências – 25 de maio de 2016

A drenagem das águas de chuva em Sete Lagoas é muito precária, principalmente na região central e em alguns bairros. Na década de 90 foi iniciada uma obra de drenagem na rua Quintino Bocaiúva e adjacências para coletar a água pluvial que vinha das partes mais altas do bairro Santa Luzia e sopé da Serra […]

Parque Estadual da Serra do Cabral

O Parque Estadual da Serra do Cabral está localizado na região centro-norte do Estado, na serra de mesmo nome que faz parte da Cordilheira do Espinhaço, abrange os municípios de Joaquim Felício e Buenópolis. Com altitudes que variam entre 900 e 1300 metros de altitude, a Serra é um divisor de águas entre os rios das Velhas e Jequitaí, ambos afluentes da margem direita do rio São Francisco.

A vegetação local é composta de veredas, matas e cerrado. Há ocorrência de sempre-vivas e palmito doce (Euterpe edulis). Na fauna destaca-se a presença de antas (Tapirus terrestris), espécie ameaçada de extinção.

O Parque abriga muitas nascentes, entre elas a dos córregos Riachão Embaiassaia, responsáveis pelo abastecimento das áreas urbanas dos municípios de Buenópolis e Joaquim Felício, respectivamente. A abundante rede hidrográfica forma inúmeras cachoeiras e piscinas naturais, que compõem, juntamente com os afloramentos rochosos, as veredas, matas e campos naturais, paisagens de grande beleza.

Destaca-se o grande número de sítios arqueológicos pré-históricos existentes. Em diversos locais são registradas pinturas rupestres onde predominam desenhos zoomorfos.

Fonte: IEF – www.ief.mg.gov.br/areas-protegidas

Serra do Cabral em Lassance, Minas Gerais, 2 de maio de 2016.

Rio das Velhas em Lassance, Minas Gerais, 2 de maio de 2016.

Margens do Rio das Velhas e ao fundo Serra do Cabral, Lassance, Minas Gerais, 2 de maio de 2016.